Você está aqui
Home > TESTE DRIVE > Testamos o WR-V da Honda, SUV criado para agradar aos brasileiros

Testamos o WR-V da Honda, SUV criado para agradar aos brasileiros

Meio termo entre o FIT e o HR-V, Honda WR-V desenvolvido no Brasil

está na lista dos 10 SUVs mais vendidos no primeiro semestre

WR-V é encontrado em duas versões, sendo a EX por R$ 81.400 e a EXL por R$ 85.500

BETE CARRIÇO

bete@portalautomulher.com.br

Se ao comprar um carro, tivéssemos que escolher entre os modelos dispostos enfileirados, como em uma prateleira de supermercado, assim como, por exemplo, os shampoos, cada um com a sua marca, benefícios e variados preços, a escolha do mais adequado também seria uma árdua tarefa.

Com a intensa competitividade entre as montadoras e a tecnologia voando a 300 km por hora, fica difícil escolher aquele que reúne as características que mais nos agradam.  Porque quase todos são muito bons, bem equipados e com acessórios incríveis para nos deixar cada vez mais à vontade e seguras para dirigir. Por isso, quando o índice de vendas aponta uma tendência é quase certeza que mais e mais modelos serão criados a partir desse movimento e apresentados ao mercado para disputar um espaço no imaginário do consumidor.

É o caso dos SUVs, que são atualmente os veículos mais desejados no Brasil e também em alguns outros países. Grandes e altos por definição, já encontramos os médios e compactos, ideais para serem usados na cidade e outros mais preparados para trechos fora da estrada, os conhecidos offroad, e os de uso misto que reúnem particularidades de ambos.  Exemplo disso é o WR-V, irmão menor e mais recente do HR-V e CR-V da família de SUVs da Honda, testada pelo Portal Auto Mulher. Está na lista dos 10 SUVs mais vendidos no primeiro semestre no País.

Desenvolvido no Brasil e lançado em 2017, o SUV compacto, chamado assim pela Honda, carrega o DNA da marca, com características das preferências dos consumidores brasileiros, a robustez de um utilitário, com uma carroceria compacta, amplo espaço interno, versatilidade e baixo consumo de combustível. Assim é o modelo encontrado em duas versões, sendo a EX por R$ 81.400 e a EXL por R$ 85.500, esta última testada pelo Portal Auto Mulher.

Projetado utilizando a mesma plataforma, mecânica e equipamentos do FIT, o WR-V é um carro mais espaçoso, mais alto (1,59 m), mais largo (2,07m) e mais comprido (4 m) que o clássico da Honda, o que confere a ele um tamanho próximo de um SUV. Já a distância de 20,7 cm do solo, vão livre e ângulos de ataque e saída de 21 e 33 graus compõem as medidas que possibilitam alguma esportividade de um off road.  Também com o mesmo motor do FIT, 1.5 l i-VTEC SOHC e câmbio CVT, Flex One, ele é surpreendentemente mais leve e suave para dirigir. O carro tem consumo urbano médio 8,2 km/litro com combustível etanol e 8,7 km/litro com gasolina. O consumo na estrada é de 11,7 km/litro com etanol e 12,4 km/litro com gasolina.

O sistema multimídia da versão ELX, top de linha, possui tela de 7 polegadas, navegador de internet via hotspot e conectividade via Bluetooth, cartão SD e duas entradas USB. Os pontos negativos ficam com a câmera de ré, que não oferece boa visualização e a ausência dos sistemas Android Auto e Apple Car Play, que possibilita a utilização de Waze ou Google Maps, presentes na mesma versão do FIT. Já na versão EX, o sistema de áudio tem tela de 5 polegadas, câmera de ré, Bluetooth, entrada USB, cabo auxiliar e leitor de CD player.

O SUV possui bancos com boa ergonomia, com regulagem de altura no do motorista, e sistema Ultra-seat que permite diversas configurações de assentos e a acomodação de objetos de grandes dimensões, com revestimento em preto e prata ou preto e laranja (exclusivo na cor Vermelho Mercúrio). O volante, revestido em couro, vem com comandos de som, viva-voz e controle de cruzeiro, que pode ser ajustado em altura e profundidade em ambas as versões. Também conta com computador de bordo multifunções.

O WR-V também tem um visual esportivo, rack de teto, frente mais elevada e grade frontal com acabamento em black piano, faróis de uso diurno (DRL) e projetores de neblina, que saem de fábrica tanto no EX como no EXL. O design, tanto traseiro quanto lateral, possui traços horizontais e compõem, juntamente com padrões de forma trapezoidais replicados em várias partes, como na grade inferior frontal, nas rodas de 16 polegadas, nas molduras dos para-lamas, o desenho que confere personalidade ao carro.

Conheça as redes sociais do Portal Auto Mulher

Instagram: @portalautomulher

Facebook:: www.facebook.com/portalautomulher/

Curta agora mesmo nossa página no Facebook

 

Deixe uma resposta

Top