Você está aqui
Home > FIQUE POR DENTRO > Vem saber o que as montadoras estão fazendo contra o Coronavírus

Vem saber o que as montadoras estão fazendo contra o Coronavírus

Elas pararam a produção, mas não cruzaram os braços. Empresas como a General Motors consertando respiradores. Volkswagen cedendo máscaras e veículos da frota corporativa. FCA passando a produzir máscaras, colaborafores em home office. Iniciativas como estas mostram que o mundo pode ficar melhor e inspiram mais solidariedade. Em atendimento às recomendações das autoridades de saúde e no esforço de contenção à pandemia do COVID-19, empresas automotivas estão promovendo ações para ajudar no combate à pandemia de Covid-19. Segue paralisando linhas de produção da indústria automotiva em todo o mundo e amplia seus efeitos no Brasil e também na América do Sul. Ao todo, 19 montadoras de veículos e motocicletas vão interromper a produção aqui no Brasil. A maioria vai parar esta semana e seguir assim no mês de abril.


Com o agravamento da pandemia do novo coronavírus no Brasil, que ganhou dimensões exponenciais na última semana, as empresas automotivas começaram a adotar medidas de prevenção, sendo que a maioria optou pela paralisação da produção de veículos e demais componentes em suas linhas de montagem. Todas elas têm como objetivo ajudar na tentativa de contenção da propagação do Covid-19 e preservar a saúde dos funcionários, terceiros e seus familiares.


Com foco na segurança e na saúde dos familiares e funcionários das montadoras associadas à ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), informou que em função do agravamento da crise gerada pelo COVID-19, todas as nossas empresas estão analisando e se preparando para tomar ações de paralisação das suas fábricas no Brasil, e discutindo caso a caso com seus respectivos sindicatos.


A General Motors está liderando esforços conjuntos com o Ministério da Economia, Senai, Abeclin (Associação Brasileira de Engenharia Clínica) e outras montadoras para unir uma força-tarefa no conserto de todos os respiradores que não estão funcionando no Brasil. A ação tem o intuito de aumentar o número de aparelhos disponíveis para atender pacientes graves infectados pelo vírus Covid-19. Em paralelo ao levantamento que está sendo feito do número, localização e modelo dos equipamentos parados, está treinando virtualmente o corpo técnico voluntário e preparando salas nas operações da GM no Brasil para realizar os reparos na semana que vem.
Até o momento, já foram mapeados mais de 3.000 respiradores que não estão em operação. Este número pode ser ainda maior. O objetivo é consertar 100% dos aparelhos fazendo a logística de buscar nos hospitais, levar até uma fábrica mais próxima, consertar com a mão de obra técnica voluntária treinada pelo SENAI e, depois de funcionando, o equipamento retorna para o hospital de origem para ser usado no combate ao Covid-19.


A interrupção da produção da General Motors na fábrica de Gravataí (RS) já ocorreram assim como as atividades das plantas de São José dos Campos, Joinville (SC), São Caetano do Sul e Mogi das Cruzes, além do campo de provas em Indaiatuba.

A Volkswagen do Brasil comunicou suspensão de atividades de todas as suas unidades no País até o final do mês de abril, em decorrência dos impactos da COVID-19. A partir dessa data, a produção será retomada de acordo com a programação da cadeia de suprimentos e de logística de cada fábrica. Durante este período os empregados estarão em férias coletivas, medida que faz parte das ferramentas de flexibilização previstas em Acordo Coletivo de Trabalho.

A Volkswagen do Brasil está doando duas mil máscaras faciais protetoras 3M PFF-2 (S) para as quatro cidades onde mantém suas operações fabris: São Bernardo do Campo/SP, Taubaté/SP, São Carlos/SP e São José dos Pinhais/PR. As máscaras são parte do estoque da companhia e eram de utilização na linha de produção. A doação está sendo feita em cooperação com a Defesa Civil destas localidades no combate à COVID-19.
A empresa também anunciou que vai oferecer uma frota de 100 automóveis da marca para utilização das prefeituras de São Bernardo do Campo, Taubaté e São Carlos, todas em São Paulo, além de São José dos Pinhais no Paraná. São todas as cidades onde a empresa tem fábricas em operação. Também serão colocados à disposição veículos para uso do governo do Estado de São Paulo. Os carros serão cedidos por empréstimo e deverão ser usados principalmente para apoiar o deslocamento de profissionais da saúde e de equipamentos médicos.

Já a Audi, com linha de montagem no mesmo complexo industrial da Volkswagen em São José dos Pinhais, interrompeu a produção do modelo A3 na segunda-feira, 23. Desde a quarta-feira, 18, os funcionários das áreas administrativas adotaram trabalho remoto (home office) até 27 de março, mas devem seguir a recomendação por mais dias, no mês de abril.

A Ford anunciou a interrupção temporária de suas fábricas no Brasil e na Argentina desde a segunda-feira, 23. Segundo a empresa a medida tem como objetivo principal contribuir para manter a integridade dos trabalhadores, reduzir a proliferação do vírus e ajustar a produção à queda na demanda provocada pela situação emergencial.

No País, a interrupção das atividades afeta as fábricas de Camaçari (BA) e de motores em Taubaté (SP), bem como a planta da Troller em Horizonte (CE). A montadora também anunciou que pretende retomar o trabalho a partir de 13 de abril. Já na unida de General Pacheco, na Argentina, onde é produzida a Ford Ranger, a suspensão passa a valer a partir do dia 25 e o retorno às está previsto para o dia 6 de abril.

A Ford anunciou uma ação emergencial para os clientes que financiaram a compra de um veículo pela Ford Credit, contribuindo para que possam atravessar de forma mais tranquila esse período de turbulência causado pelo coronavírus. A marca oferece a estes clientes a possibilidade de transferir para o final do contrato até três parcelas do financiamento com vencimento a partir do dia 31 de março. Para estar apto a essa condição, válida tanto para pessoas físicas como pessoas jurídicas, não é necessário fazer nenhum tipo de comprovação relacionada à saúde ou renda, basta estar em dia com os pagamentos.

A fábrica da Caoa em Anápolis (GO), onde são montados os Chery Tiggo 5X, Tiggo 7 e os Hyundai iX35, New Tucson e caminhões HR e HD80, interrompeu a produção na segunda-feira, 23.

A Caoa gera mais de 1,4 mil empregos na cidade goiana, segundo o sindicato da região. A parada é por tempo indeterminado. Os funcionários que podem estão fazendo home office.
Outra montadora instalada em Goiás, a Mitsubishi HPE Autos, em Catalão, paralisou atividades na segunda-feira, onde são montados sob licença veículos Mitsubishi e o SUV Suzuki Jimny. Cerca de 1,9 mil trabalhadores entraram em férias coletivas por 60 dias. As equipes do escritório na cidade de São Paulo já fazem home office desde a sexta-feira, 20 de março.

A fábrica da Caoa Chery de Jacareí (SP), onde são montados o Tiggo 2 e o Arrizo 5, adotou o layoff, suspensão temporária dos contratos de trabalho. E a fábrica da Hyundai Motor Brasil em Piracicaba (SP), onde são feitos os HB20, HB20S e Creta, vai parar a partir desta quinta-feira, 26.

A Hyundai informou que irá colocar em férias coletivas quase todos os 2,7 mil empregados no País entre os dias 26 de março e 9 de abril, mas as atividades só devem ser normalizadas em 13 de abril. Vão ficar fechados os escritórios na cidade de São Paulo e a fábrica em Piracicaba, no interior do Estado, onde são produzidos HB20, HB20S e Creta.

A Hyundai Motor Brasil informa que garantias e revisões de veículos das famílias HB20 e Creta com vencimento desde 10 de março de 2020 serão asseguradas até 30 de abril de 2020, com possibilidade de prorrogação de acordo com eventuais orientações das autoridades nacionais que coordenam o combate à Covid-19. A tolerância de quilometragem também será ampliada em 2 mil km. Caso esta margem seja ultrapassada, o veículo deverá passar por uma inspeção na loja autorizada.

 

A Nissan informou que paralisou a produção em Resende (RJ) nesta da quarta-feira, 25 de março. O retorno está previsto para 22 de abril. A empresa emprega cerca de 2,4 mil trabalhadores e produz na unidade o utilitário esportivo Kicks, o hatch March e o sedã Versa. A empresa também divulga algumas dicas de higienização para utilização de veículos em tempos de pandemia.

A Honda Automóveis do Brasil comunicou que, a partir desta quarta -feira, 25 de março, as atividades produtivas em Sumaré e Itirapina (SP) passarão por ajustes devido ao impacto da pandemia do Covid-19.

A empresa irá suspender a produção por 20 dias, a partir de 25 de março, com retorno previsto para 14 de abril, podendo ser postergado para 27 de abril. A retomada da produção dependerá das orientações dos governos federal e estadual, das condições de segurança dos colaboradores e dos impactos da pandemia no mercado de automóveis.

Durante esse período, os colaboradores envolvidos diretamente no processo produtivo entrarão em férias coletivas. Para os colaboradores que desempenham atividades administrativas vem sendo adotado o regime de Home Office. Para funções em que não é possível o trabalho remoto, está sendo praticado o escalonamento da equipe.
A Toyota do Brasil informou que suspendeu a produção de suas quatro plantas industriais no País desde 24 de março com retorno previsto para 06 de abril.
A paralisação se deve no sentido de atenuar os riscos à saúde de seus colaboradores e de seus familiares, evitando ao máximo aglomerações e circulação de pessoas, associada ao quadro de incerteza do mercado brasileiro no curto prazo, além das dificuldades na cadeia logística e de suprimentos, que devem se agravar nas próximas semanas. As unidades industriais afetadas estão localizadas no Estado de São Paulo. São elas: São Bernardo do Campo – produção de peças de reposição e de motores;- Sorocaba – produção dos modelos Etios e Yaris nas versões hatchback e sedã; – Indaiatuba – produção do sedã médio Corolla;- Porto Feliz – produção de motores para os modelos Etios, Yaris e Corolla (motor 2.0L Dynamic Force).
A Toyota colocou em trabalho remoto o máximo de colaboradores das áreas administrativas possível, sendo obrigatório para pessoas de grupos de risco, como diabéticos, hipertensos, portadores de problemas cardíacos, asmáticos, gestantes, com mais de 60 anos e todos os imunocomprometidos.

 

O BMW Group anunciou que garantirá aos consumidores das marcas BMW, MINI e BMW Motorrad a possibilidade de realizar reparos cobertos pela Garantia BMW até 30 dias após o fim da garantia contratual. A condição vale para os veículos que têm sua garantia contratual vencendo no período entre 23 de março e 24 de abril. Este período será reavaliado e poderá ser alterado, caso necessário.

Além disso, o BMW Group irá adotar como tolerância para realização das manutenções o prazo de 30 dias ou 1.200 km, contados a partir da indicação limite do sistema CBS* para carros. No caso das motos, o parâmetro será o limite de tempo ou km (o que ocorrer primeiro) indicados no manual do proprietário O time do BMW Group Brasil está se reunindo de forma remota todos os dias para apoiar todas as demandas dos nossos clientes e concessionários.

A Jaguar Land Rover, suspendeu temporariamente a produção de veículos em sua fábrica localizada em Itatiaia (RJ) desde 25 de março, com retorno programado para 27 de abril. As áreas administrativas estarão em home office e as áreas ligadas à produção seguem o regime de banco de horas. Desde 16 de março, os funcionários da fábrica que fazem parte do grupo de risco (acima de 60 anos) ou que possuem problemas de saúde foram instruídos a seguir o regime de home office. O escritório administrativo, nas unidades em São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ) também adotaram o trabalho remoto na mesma data.

A fábrica da Volvo de Curitiba (PR) onde são feitos os caminhões, ônibus, motores e caixas de câmbio, vai paralisar as operações com férias coletivas para todos os 3,7 mil empregados a partir de 30 de março e vai até 30 de abril.

As três fábricas do grupo FCA localizadas em Betim (MG), Goiana (PE) e Campo Largo (PR) vão paralisar as atividades a partir de 27 de março e assim permanecem pelo menos até 27 de abril. A empresa também anunciou o adiamento de todos os eventos na América Latina, incluindo o lançamento da picape Strada, que estava agendado para o início de abril.
A empresa comunicou que está preparando suas fábricas para começarem a produzir máscaras de proteção. O objetivo é fabricar mais de 1 milhão de unidades do equipamento de proteção individual por mês, e doá-los aos profissionais que atuam na linha de frente no combate ao avanço da Covid-19, como paramédicos, policiais, bombeiros e, claro, trabalhadores de hospitais e clínicas de saúde. De acordo com a montadora, os preparativos começaram a ser feitos nesta semana e a produção vai começar em seguida, com distribuição inicial nos Estados Unidos, Canadá e México.


Os 10 mil trabalhadores que atuam nas fábricas Mercedes-Benz de São Bernardo do Campo, Iracemápolis, Campinas (SP) e Juiz de Fora (MG) terão férias coletivas entre 30 de março e 19 de abril, além de folgas previstas por banco de horas nos dias 25, 26 e 27 de março e em 20 de abril. O retorno está previsto, a princípio, para 22 de abril.
No Grupo PSA Peugeot Citroen: a fábrica de Porto Real (RJ) parou sua produção no período de 23 de março a 21 de abril. A montadora informa que a produção será retomada dependendo da futura situação no País.
Na Renault, o complexo industrial Ayrton Senna, localizado em São José dos Pinhais (PR), na região metropolitana de Curitiba, suspendeu sua produção na segunda-fera, 23. As linhas de montagem ficam paradas até 14 de abril e afetam 7,5 mil trabalhadores.


A Yamaha Motor do Brasil e as demais empresas que fazem parte do Grupo Yamaha, adotaram nas últimas semanas algumas medidas para garantir o bem-estar e saúde dos colaboradores e de seus familiares. Essas medidas incluem, e não se limitam, a adoção do trabalho remoto para uma parcela dos colaboradores, reuniões internas e com fornecedores realizadas por videoconferências, viagens pelo país e ao exterior suspensas e todos os eventos e ações internas e externas cancelados. Adicionalmente, a Yamaha suspenderá suas atividades fabris pelo período de 31 de março à 19 de abril, regressando às atividades no dia 20 de abril de 2020.
A Moto Honda da Amazônia comunicou que as atividades produtivas em sua unidade fabril, localizada em Manaus (AM), serão suspensas a partir de 27 de março. O retorno é previsto para 13 de abril, podendo ser postergado para 20 de abril. A decisão prioriza a segurança e saúde das pessoas. Os colaboradores diretamente envolvidos no processo produtivo entrarão em férias coletivas a partir de 30 de março. Entre os dias 27 e 30, as jornadas serão compensadas com a utilização do banco de horas.
A maioria das empresas automotivas informou que está direcionando o maior número possível de profissionais das áreas administrativas para férias coletivas ou regime de home office. Para as atividades imprescindíveis, que não podem ser realizadas a distância, será mantido um contingente mínimo de colaboradores, com as medidas de prevenção recomendadas pelas autoridades para proteger as pessoas e conter a disseminação do coronavírus, seguindo as recomendações do Ministério da saúde e da Organização Mundial da Saúde.

Conheça as redes sociais do Portal Auto Mulher

Instagram: @portalautomulher

bjetivos.

Conheça as redes sociais do Portal Auto Mulher

Instagram: @portalautomulher

Deixe uma resposta

Top