Você está aqui
Home > TESTE DRIVE > Mercedes-Benz GLA 200 fica mais caro em estratégia de grife e menor risco

Mercedes-Benz GLA 200 fica mais caro em estratégia de grife e menor risco

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Festival-tablets-e-celulares-Magalu.jpg
<script>
Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é banner-cobasi.jpg

Siga no Instagram

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é instagram-Portal-Auto-Mulher.jpg

BETE CARRIÇO

bete@portalautomulher.com.br

Agora importado, custa R$ 325.900 e vem com mais espaço interno, visual esportivo, novo motor e amplo pacote de segurança. Foco da Mercedes-Benz agora é trazer SUVs de maior valor agregado como grife.

O setor automotivo nacional está vivendo um momento turbulento com queda nas vendas, falta de peças, cenário que parece “eterno” da Covid-19 e a revoada de algumas marcas importantes. Uma delas é a Mercedes-Benz, sinônimo de luxo e a 8ª marca mais valiosa do mundo – se restrita ao setor automotivo é a segunda colocada -, de acordo com o ranking Brands Global Brands, publicado em 2020.

A explicação para deixar de fabricar veículos no país é o velho argumento do alto custo de produzir no Brasil. Na fábrica de Iracemápolis (SP), a Mercedes-Benz produzia o SUV compacto GLA 200, além do sedã médio Classe C.

O foco agora é trazer de fora veículos de maior valor agregado como os SUV’s, paixão brasileira e global, mesmo com as altas taxas de importação e a subida do dólar, que encarecem o produto para o consumidor. Exemplo disso é o lançamento da segunda geração do GLA 200 AMG Line, que chega em apenas uma versão top para ampliar a oferta de SUVs premium e agora passa a integrar o line-up de oito modelos da marca.

As mudanças incluíram design, ambiente interno, motor e um aumento substancial de preço (R$ 325.900), cerca de R$ 120 mil a mais em relação ao anterior e até aos seus concorrentes. A justificativa é que este vem da Alemanha, enquanto o antigo era produzido aqui no Brasil.

Em nosso test drive pelo Portal Auto Mulher, o GLA 200 AMG Line não decepcionou. Recheado de tecnologia, tem itens sofisticados externos e internos que condizem com a imagem de luxo da marca. Como agora é importado, não tem mais a motorização flex 1.6 L.

O novo motor é o turbo 1.3 de quatro cilindros, 163 cv e 25,5 kgfm de torque de 1620 a 4000 rpm.  O novo GLA 200 chega aos 100 km/h em 8,7 segundos. A velocidade máxima controlada é de 210 km/h.

Para trafegar no trânsito de São Paulo, o câmbio automático de sete marchas até poderia ser melhor calibrado, para tornar as saídas mais rápidas.  Na estrada, o motor tem ótimo desempenho, dirigibilidade e direção segura.

É possível escolher a forma de dirigir. Há um seletor de modos de condução, que pode ser escolhido entre Eco, Comfort, Sport e Individual.

Chama a atenção o conjunto de assistência ao motorista, que somente se envolve em um acidente se fizer muita questão. Para oferecer a máxima segurança, dispõe de sensores, câmeras de vídeo, câmeras infravermelho e radares de longo e curto alcance.

A lista de funções inclui assistência ativa de distância, assistente de frenagem, assistente de ponto cego, auxílio à direção evasiva, assistente de desembarque, auxílio para estacionar em marcha ré, entre outros. O modelo ficou mais alto (1.611m), mais largo (1.834m) e com o entre-eixos maior (2.729m). Já o comprimento diminuiu para 4.410m.

A combinação dos ajustes resultou em um ambiente interno mais espaçoso. Com os bancos traseiros rebatidos, o porta-malas oferece uma ampla capacidade de 435 litros.

O GLA 200 vem de fábrica com o pacote AMG esportivo, que engloba itens externos e internos. Destaca-se no conjunto externo grade frontal em estilo diamante, com pins cromados, barras de teto cromado, para-choques exclusivos, rodas AMG de 20” e acabamento cromado nas maçanetas e linhas laterais das janelas.

Em seu interior, encontram-se o volante multifuncional de base achatada, pedais cromados, molduras de acabamento em visual de fibra de carbono. Os bancos são revestidos de material usado na Formula 1, que traz maior aderência. O apoio de braço central é regulável e inclui um porta-objetos com entrada USB.

O modelo apresenta no painel de instrumentos e console central duas telas de alta resolução com 10,25”, com comandos touchscreen, touchpad no volante, console central e porta voz. A central multimídia atende Apple CarPlay e Android Auto.

O GLA 200 também vem de série com acesso sem chaves, assistência de estacionamento e câmera de ré, bancos dianteiros com ajustes elétricos e memória, teto solar panorâmico, ar-condicionado de duas zonas e carregador de celular sem fio.  Há ainda o sistema de comunicação remota com o condutor, que pode ser informado sobre roubo ou colisão e a nova função lava rápido de proteção ao veículo.

Pode ser comprado nas cores Branco Digital, Preto Cosmos, Azul Denim, Prata Iridium, Cinza Montanha, Branco Polar e Preto Noite.

Na questão do consumo, segundo o Inmetro, o SUV faz 10,7 km/l na cidade e 12,8 na estrada, melhor que o antigo GLA 1.6, que fazia 10 e 12,7 respectivamente.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Banner-Malharia-Tania-Wandscher-2-2.jpg
Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é 0705_ParceiroMagalu_post_FestivalEletrodom%C3%A9sticos_v2-300x300.png

Conheça as redes sociais do Portal Auto Mulher

Instagram: @portalautomulher

Facebook: https://www.facebook.com/portalautomulher/

Deixe uma resposta

Top